© 2019 Secretaria de Jovens Por Um Mundo Unido BR - Movimento dos Focolares

new-humanity.jpg
Jovens Por Um Mundo Unido Logo Preto PNG
unnamed.jpg
Logo Movimento dos Focolares

SEMANA MUNDO UNIDO

De 29 de abril a 6 de maio, as novas gerações do Movimento dos Focolares com o suporte e junto às comunidades locais dos Focolares no mundo, promovem a Semana Mundo Unido 2018, envolvendo nas mais variadas iniciativas, inteiras comunidades e milhares de jovens, outros movimentos, associações, instituições locais, nacionais e internacionais com presenças ecumênicas e inter religiosas.

  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle
  • YouTube - Círculo Branco

#DigaNãoÀFome

O tema escolhido para a Semana Mundo Unido 2018 é: #DigaNãoÀFome.


Esta grande expo da fraternidade universal se tornará uma grande ocasião para estender a todos a proposta feita pela FAO (Organização das Nações Unidas para a alimentação e a agricultura)às jovens gerações do Movimento dos Focolares, isto é, a de empenhar-se na chegada do segundo dos 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030: a eliminação da fome no mundo. Os jovens que agora têm entre 12 e 16 anos podem tornarem-se a primeira geração que conseguirá erradicar a fome no mundo.


Somente com a tomada de consciência, com a mobilização e a sensibilação destes jovens, será possível chegar à eliminação da fome daqui até 2030. Segundo os dados da FAO, existem milhões de pessoas que sofrem a fome e os números, pela primeira vez em um decênio, ainda cresceram, passando de 777 milhões a 815. Até este momento, na terra, precisamente, se produz alimentos suficiente para nutrir toda a população mundial.

 

Então, quais são as causas desta tendência negativa? A FAO é clara: na base desta aceleração existe a combinação de diversos fatores. As mudanças climáticas que acontecem em certos países de um modo violento. Há algumas condições de guerra endêmica, a própria pobreza que não permite ter acesso à compra ou ao cultivo de alimentos. Existem as migrações. Existe a impossibilidade de providenciar investimentos eficazes na agricultura por parte de certos países em via de desenvolvimento, os acordos comerciais constringem algumas nações a reduzir as exportações com um impacto consequente na própria riqueza disponível. E, ainda, existe o desperdício alimentar, pelo qual, um terço de toda a produção de alimentos (1,3 bilhões de toneladas), nunca é consumida, com o desperdício de recursos naturais (água, terra, ar) preciosos para o futuro da humanidade.

Então, como contribuir, para chegar à eliminação da fome através de ações concretas?

Certamente, ocorrem intervenções no setor agrícola e alimentar, com decisões políticas e econômicas a nível mundial. Mas, não basta. É necessária uma mudança de rumo. Não se poderá derrotar a fome sem a tomada de consciência e a participação de todos os homens e mulheres do planeta. Também nós. É necessária uma mudança no estilo de vida que oriente as escolhas do dia-a-dia para este objetivo, desde as compras até o uso da água, do empenho pela difusão da paz ao promover, nas nossas cidades, uma cultura contracorrente em relação à cultura dominante do desperdício. Em resumo, se trata de retomar seriamente, no centro da nossa vida, o amor pelos outros e pela criação.

Caminho Vermelho

Empenharmo-nos contra os desperdícios e a distribuição desigual das riquezas vivendo a cultura do dar e da partilha.

Caminho Amarelo

Mobilizarmo-nos e trabalhar pela paz em todos os níveis.

Caminho Verde

Entre as causas da fome há, certamente, a crise ambiental, assim empenharmo-nos pela tutela do nosso planeta.

Caminho Anil

Conhecermos a fundo o problema da fome e as suas causas, também em momentos de aprofundamento.

Caminho Alaranjado

Queremos envolver mais pessoas possíveis pelo objetivo #DigaNãoÀFome para que, quanto antes, muitos sejam sensibilizados para estes problemas e se empenhem conosco para resolvê-los.

Caminho Azul

Podemos sensibilizar a muitos para resolver esta grave injustiça também por meio da música, teatro, dança, cinema e toda forma de arte.

Caminho Violeta

Queremos compartilhar através das mídias sociais, o quanto vivemos.

Caminho Preto

Olharmos ao nosso redor, nas nossas cidades, e envolver as autoridades políticas, civis e religiosas.